Boa produção marca "À Primeira Vista" na Band

Olá, internautas

A Band estreou, recentemente, “À Primeira Vista”. A nova atração ocupa a faixa das 23 horas das quintas-feiras. O programa utiliza o velho mote de encontrar o “grande amor”.

O primeiro programa do gênero que vem na minha mente é o “Quer Namorar Comigo?”, de Silvio Santos, nos anos 90. Na década anterior, o “Namoro na TV” alcançou estrondoso sucesso. Ainda teve o “Em Nome do Amor”. Os casais formavam-se no “bailinho” em ritmo de Julio Iglesias, após se paquerarem através dos binóculos. Ainda teve o “Xaveco”, de Celso Portiolli.

Mais recentemente, Rafael Cortez comandou o “Me Leva Contigo” que não foi bem nos índices de audiência. Já no dominical “Eliana”, “Rola Ou Enrola” é um dos principais quadros. E agora surge o “À Primeira Vista”. Todos estes com embalagem moderna.

Luigi Baricelli é o maitre, ou melhor, o apresentador. Ele recepciona homens e mulheres de diversas faixas etárias e tipos. As garçonetes e o barman funcionam como assistentes de palco, isto é, do restaurante. O ambiente é uma ótima sacada. Traz ar de novidade no mote do formato já manjado pelo telespectador.

Durante a “comilança”, os pretendentes conversam de forma natural. Realmente, as “câmeras escondidas” no cenário provocam um clima mais íntimo entre o casal. Por outro lado, alguns participantes, evidentemente, aproveitam a oportunidade para aparecer em rede nacional, como foi o caso das duas lutadoras de jiu-jitsu exibido na mais recente edição. Elas, de certo modo, humilharam os rapazes. Totalmente desnecessário.

Há tipos excêntricos, como o senhor que adotou o visual com barba para trabalhar de Papai Noel no Natal. Hilário!

Um dos pontos fortes do “À Primeira Vista” é a edição. Acertaram, em cheio, ao exibirem diferentes encontros ao mesmo tempo com início de um, desenrolar de outro e conclusão da outra história. Isso traz agilidade. Além disso, a produção do restaurante é caprichada. Acolhedora.

O ponto fraco surgiu na estratégia de programação. “À Primeira Vista” estreou em plena grande final do “Power Couple Brasil”. A Band poderia ter esperado outro momento para a estreia. Dia totalmente inadequado. Depois, veio a estreia do reality “A Casa”. O programa da Band ficou ofuscado.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 22h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Evaristo Costa sai da TV Globo?

Olá, internautas

Uma bomba agita os bastidores da TV brasileira. De acordo com Flavio Ricco, Evaristo Costa sairá da TV Globo. O jornalista enfatizou que tal decisão baseia-se em questões pessoais.

Eu tive a oportunidade de conhecer Evaristo, pessoalmente, em 2000. Fiz um trabalho acadêmico na USP sobre os programas femininos e fui até a redação do “Mais Você”, aqui em São Paulo. E lá vi o atual apresentador do jornal Hoje. Na época, ele era repórter de Ana Maria Braga. Alto e com sorriso no rosto. Essa foi a minha primeira impressão que permanece até hoje na minha memória. Simpático. Alto astral.

Evaristo traz isso, de alguma forma, no vídeo. Mesmo no jornalismo factual. Evaristo e Patricia Poeta trilharam caminhos semelhantes. Vieram do entretenimento e atracaram no telejornalismo. Depois, saíram do noticiário diário (se confirmar o afastamento do comandante do “Hoje”) e buscaram novos caminhos.

Patricia é uma das apresentadoras do “É de Casa”. E não seria surpresa alguma se Evaristo entrasse no entretenimento mesclado com jornalismo em alguma atração da TV brasileira. Seja na Record ou até mesmo no SBT.

Ou então Evaristo permanecerá na TV Globo que, possivelmente, fará uma contraproposta.   Muitos colocavam o joseense como sucessor natural de William Bonner na bancada do “Jornal Nacional”. E como ficará Sandra Annenberg sem o seu companheiro de trabalho? Outra decisão ingrata para a emissora platinada. Eu não admiro o estilo de Rodrigo Bocardi. Por outro lado, Cesar Tralli é excelente no “SPTV”. Ele é a alma do telejornal regional. O namorado de Ticiane Pinheiro é outra opção.  Porém, “cobre um santo e descobre outro”.

A conferir.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 22h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Angelique Boyer visita Brasil após 20 anos de Thalia

Olá, internautas

As novelas mexicanas integram o DNA do SBT. Isso é inegável. As produções da Televisa reconquistaram a boa audiência nesta década no Brasil, após se fixarem na programação vespertina do canal de Silvio Santos.

Neste espaço, já comentamos sobre o sucesso de Teresa (atingiu dois dígitos na média) e também “Abismo de Paixão”, tramas protagonizadas por Angelique Boyer, a nova “rainha” das novelas da tarde.  Atualmente, vai ao ar “O Que a Vida Me Roubou”, trama que não repete o mesmo êxito das outras lideradas por Angelique por aqui. Mesmo assim, fica entre as maiores audiências do SBT até a entrada de “Carinha de Anjo” na programação.

Os fãs pediram e ela visita o Brasil desde a última sexta-feira (15/07). Logo no sábado (16/07), a atriz franco-mexicana já participou de uma “Live” comandada por Maisa Silva exibida nas redes sociais. Sucesso absoluto. Mais de 1 milhão de visualizações. Ficou entre os assuntos mais comentados no Twitter com a hashtag #AngeliqueNoSBT.

Já no domingo (17/07), Angelique Boyer foi a convidada especial de Celso Portiolli no “Domingo Legal”. O programa já se transformou em espaço obrigatório para receber as estrelas do México. Angelique se transformou em “Teresa” e aprontou com o animador que comeu, de olhos vendados, insetos... Entre ser ou não ser, eu sou! Rs..

Angelique comportou-se como as outras atrizes da Televisa. Rasgou elogios aos fãs, ao Brasil, às comidas tupiniquins e até viveu um momento à la “Dancing Brasil”. Encarou a coreografia de uma música de Anitta e também elogiou a cantora que, segundo ela, fará sucesso no México.  

Acredito que os profissionais da Televisa recebam algum treinamento para se relacionar com fãs de outros países, especialmente do Brasil. Isso é sinal de respeito com as pessoas que assistem às novelas e acompanham, atualmente, ao elenco das novelas pelas redes sociais, especialmente o Twitter. Com a grande final de ”Teresa”, por exemplo, parte do elenco até mandou mensagens carinhosas em português no microblog.  

A visita de Angelique trouxe a lembrança de Thalia no Brasil. Respeitando, evidentemente, as proporções. A intérprete de Maria do Bairro, Marimar e Maria Mercedes é um dos maiores marcos na história do SBT.  Na época, o “Domingo Legal” cobriu intensamente a chegada da atriz aos estúdios do canal. Um helicóptero sobrevoou o percurso do carro (uma limusine). Thalia mandava beijos aos fãs espelhados pelas ruas. E quando ela chegou ao estúdio? Loucura total! Gugu a recepcionou. Thalia cantou diversas músicas. Liderança absoluta no IBOPE. E tudo isso ocorreu em 1997. Há 20 anos. E todo aquele alvoroço permanece intacto na minha memória. “Amo o Brasil!”.

20 anos depois, vem Angelique Boyer. E ela está hospedada no mesmo hotel onde Lucero ficou. Na Avenida Paulista. Passei em frente no sábado, por volta das 21 horas, e os fãs estavam por lá.  Agora, Angelique fará um tour nos programas do SBT, entre eles Eliana e The Noite. Ai, caramba!

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Programa caça-níquel se transforma em nova erva daninha da TV

Olá, internautas

Ao invés de investir na programação, algumas emissoras preferem “alugar” faixas horárias. Ganham o “cascalho” e o telespectador fica com opções indigestas. Já comentamos que a RedeTV! aloca diversos blocos para igrejas evangélicas. Mas os pastores não estão sozinhos nestas negociações.

Os programas chamados de “caça-níqueis” invadiram a TV brasileira. Proliferam-se até em horários estratégicos. A Band obtém bons índices de audiência com o “Jogo Aberto” e “Os Donos da Bola”. Neto entrega a programação, às 15 horas, para o inacreditável “Super Bônus” que teria a premissa da “interatividade”. Posteriormente, no “Brasil Urgente”, Datena precisa, sozinho, alavancar a audiência que sai do traço. É o efeito cascata negativo.

Já à 1h05 aparece “Top Game”, outro "interativo com distribuição de prêmios". O programa, com o mesmíssimo nome, também dá o ar de sua graça na RedeTV! em plena faixa das 18 horas. Início do horário nobre. Também vai ao ar na madrugada de sábado para domingo, à 1h30.

O velhíssimo e batido discurso dos apresentadores corrói tais atrações.  “Ninguém está aproveitando a oportunidade. Cadê o meu participante? Cadê o meu campeão? ” E dá-lhe semblante “pensativo” na tela com aquela sinistra música instrumental ao fundo.

Agora, os apresentadores conversam com a diretora que “deixa” o desafio mais “fácil”. E embaralha as letras. O apresentador olha para o lado esquerdo da tela. Mais ar pensativo. “Vamos lá, participante! Aproveite a sua chance!”. Depois, ele fica bravo: “Fico me empenhando e você desliga o telefone?”.

É o mesmo roteiro todos os dias. E o pior: a linha “cai”. O apresentador atende alguém que desliga o telefone. Ou então, atende algumas pessoas que falam respostas erradas. Mesmo com desafios facílimos....

A modalidade desta programação começou com o “Insomnia” que tinha até alguma produção se comparado aos atuais exibidos em diferentes emissoras. Por que as produtoras não investem e, de fato, tiram o ar de caça-níquel e transformam as atrações em games interativos de verdade? Com isso, até poderiam conquistar mais audiência e melhor retorno financeiro. É indigesto.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Dudu e Maisa: outros pupilos "perdidos" de Silvio Santos

Olá, internautas

Outros dois personagens ligados ao animador Silvio Santos ganham espaço na mídia, diante de polêmicas irrompidas no tradicional dominical do SBT. Os dois adolescentes, Maisa Silva e Dudu Camargo, participaram do inocente Jogo das Três Pistas. E a imaturidade de ambos explodiu no palco.

O “patrão” lançou brincadeiras para animar o bate-papo. Brincou ao especular um possível namoro entre a mini petit e o apresentador do “Primeiro Impacto”. Puro chiste. A garota não entendeu o espírito da “zoação” e começou a detonar o colega da emissora. “Ele é muito engessado, não parece que é de verdade. Ele fala esquisito. Ninguém é assim o tempo todo, as pessoas gostam de gente de verdade”, disparou.

Totalmente desnecessário. Maisa enfrenta um momento delicado. Vive a transformação da fase de “criança prodígio” para a adolescente que precisa encontrar alguma nova identidade na mídia. Muitos atores mirins, por exemplo, não vingam na carreira artística. E Maisa parece espelhar-se em Livia Andrade. Adota o estilo “falastrona” que pode magoar até companheiros de emissora. O “sincericídio” é fatal. Isso até é um dos mantras do batido BBB....

Por outro lado, Dudu também enfrenta inseguranças. A sua vida íntima ganha espaço na mídia. Um possível ex-namorado botou a boca no trombone e começou a falar algumas “possíveis” intimidades. “Possíveis” mensagens antigas do Twitter de Dudu vieram à tona, que confirmariam tal romance homoafetivo.

Dudu negou tudo. Para expor a imagem de heterossexual, resolveu encarar uma situação constrangedora no “Pânico na Band”, humorístico que perdeu o humor há alguns anos. O “jornalista” surgiu na pegação com panicats. Após tal momento de “menino safadão”, agora aparece em um vídeo bem mais comportado com declarações que enaltecem o Congresso para o Sucesso do Templo de Salomão, empreendimento da Igreja Universal do Reino de Deus...

Maisa e Dudu precisam de um bom direcionamento em suas carreiras e também na vida pessoal. A explosiva exposição na mídia pode ser prejudicial a ambos.  Tanto profissionalmente quanto pessoalmente. E Silvio Santos sai, mais uma vez, de fininho...

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Silvio Santos se transforma em Marcia Goldschmidt e Christina Rocha

Olá, internautas

No último domingo (09/07), o “Programa Silvio Santos” viveu um momento desagradável. No tradicional “Jogo dos Pontinhos”, Flor atacou a “colega” de bancada, Livia Andrade. A eterna jurada do patrão reverberou toda a sua mágoa por, dentre outros fatos, Livia ter publicado uma foto, no Instagram, com o seu rosto coberto por uma cobra.

Inicialmente, a picuinha entre Livia e Flor surgia como jogo de cena. Porém, agora parece que realmente há um desentendimento entre as duas sbtistas. A brincadeira, no princípio, sensibilizou o ego de ambas e tornou-se algo real.

Durante o imbróglio, Flor menosprezou Livia ao afirmar que a ex-mallandrinha ganhou apenas 20 mil reais para posar nua na revista Playboy. Em seguida, comentou que Livia teria subido na carreira graças ao Sergio Mallandro. E pegaria dinheiro dos namorados.

A corintiana retrucou ao afirmar que Flor seria uma senhora com discurso machista e escroto. O papo desandou. “Eu ganhei dinheiro sim mostrando a minha periquita, mas não precisei dar ela pra ninguém, fofa. Juntei o meu dinheiro, hoje eu tenho o meu patrimônio, graças a mim, ao meu corpo e ao meu trabalho. Nunca precisei de ninguém”, detonou a morena.

De acordo com boatos ventilados pela imprensa, nos bastidores, a confusão continuou. Flor teria até chorado no camarim. A loira construiu sua carreira no SBT. Quem não se lembra do “Show de Calouros” nos anos 80? Aproveitou a oportunidade para ressurgir na emissora com o “Jogo dos Pontinhos” e faz de tudo para agradar ao “patrão”. Quando o animador cutuca, ela sente na obrigação de provocar alguma reação no comunicador.

Livia, que possui personalidade forte, não entra na onda da brincadeira e, nesta insegurança, ataca a colega. E o círculo vicioso aparece. Ou tudo pode ser jogo de cena para provocar burburinho na imprensa.

Silvio Santos sai da carcaça de animador e se traveste de apresentador do “Casos de Família”. Lidera o bate-boca, como faz Christina Rocha e, anteriormente, Marcia Goldschmidt. Só que sem o slogan “mexeu com você, mexeu comigo”. Muito pelo contrário. Ele mexe e remexe para criar tal situação e sai de fininho.

Tudo é show. Livia e Flor aceitam participar de tal espetáculo que simboliza a guerra de audiência dominical. Passou do ponto. O ar irreverente se transformou em patético.  

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


PopStar estreia sem Roberto Justus....

Olá, internautas

Neste domingo (09/07), a TV Globo estreou “PopStar“. A emissora alardeou, aos quatro cantos, que a nova atração é um formato original produzido pelo canal. Isso deveria ser obrigação dos conglomerados televisivos em nosso País que atualmente preferem importar programas ao invés de desenvolverem opções com DNA tupiniquim aos telespectadores.  

A premissa de “original” foge do escopo da nova aposta da TV Globo. Em primeiro lugar, o título “PopStar” remete ao “PopStars”, sucesso do SBT na década passada. A linguagem visual lembra o finado “SuperStar” e o “The Voice Brasil”.

A proposta do “PopStar” enfatiza uma das características atuais do canal. Utilizar as “estrelas” do elenco em diferentes situações. Agora, atores, atrizes e até jornalistas passeiam em diferentes atrações da casa. Visitam o “Mais Você”, passam pelo “Encontro” com Fátima Bernardes, encaram desafios no “Caldeirão do Huck”, são solidários no Estrelas” e até enfrentam “saia justa” no “Domingão do Faustão”, como aconteceu no recente quadro “Show dos Famosos”.

“PopStar” é um talent show (não utilizo o termo reality musical) com famosos que ganham destaque em outra vertente na mídia, mas também são apaixonados pela música. Alguns dos concorrentes já ganharam algum reconhecimento na seara musical, como Mariana Rios, Claudio Lins, Rafael Cortez e Sabrina Parlatore. Já outros apresentam tal faceta na competição. O jornalista Alex Escobar e o ator Murilo Rosa surgem como dois exemplos neste grupo. Só faltou o Roberto Justus...

O júri não será o mesmo em todas as edições. Haverá uma troca nos 10 “especialistas” a cada domingo. Já Fernanda Lima será a comandante da disputa.

A estreia do “PopStar” não empolgou. Faltou emoção. Clima de competição. Eliminação. A atração poderia ter sido idealizada como um quadro no dominical de Fausto Silva. Essa é a impressão que ficou na estreia.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"A Fórmula" estreia com gosto de quero mais

Olá, internautas

Nesta quinta-feira (06/07), a TV Globo estreou “A Fórmula”, de Mauro Wilson e Marcelo Saback, com direção de Flávia Lacerda e Patrícia Pedrosa. A nova produção registrou 16 pontos de média e elevou os índices de audiência da emissora que exibia “Vade Retro” na faixa horária. O canal sacrificou a série de Fernanda Young e Alexandre Machado ao alterar o seu horário de exibição.

“A Fórmula” deixou um gosto de quero mais. A série foi ao ar com pouco mais de meia hora. O telespectador já compreendeu a proposta da atração. Texto ágil. Direção ágil. Atores tarimbados. Fabio Assunção personifica o cinquentão Ricardo. Faço um adendo para comentar um fato que movimentou as redes sociais.

Realmente, é muito triste acompanhar um ator do primeiro escalão, da maior emissora do Brasil, bêbado, jogado ao chão e detido em uma viatura policial. É uma questão que provoca reflexão. A fama, que muitos buscam a qualquer custo, tem o seu outro lado. Nefasto.

Voltamos a falar da série. Drica Moraes ressurge na pele de Angélica, uma cientista frustrada que cedeu sua chance ao então namorado Ricardo há 30 anos. Aliás, os anos 80 encontram-se na moda da TV Globo.

Em um capítulo de “Malhação – Viva a Diferença”, a produção teen exibiu uma festa para celebrar a década. A novela das onze (ou melhor, supersérie) vive o clima da época. E agora “A Fórmula” faz um bate e volta entre os anos 80 e a segunda década dos anos 2000. E naquela época (lembro muito bem), muitas pessoas questionavam como o período seria lembrado e tinham até uma perspectiva negativa (era melhor ser esquecido).  

Luisa Arraes interpreta a versão rejuvenescida de Angélica. A cientista cinquentona reaparece como ninfeta na pele da atriz com 20 e poucos anos. Graças à fórmula que intitula o seriado. Klebber Toledo vive Ricardo “mais moço”.

“A Fórmula” apresenta uma história instigante. Lembra, de alguma forma, “De Volta para o Futuro”, filme que marca os anos 80. É um acerto da TV Globo.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 21h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Sadia rememora lembrança afetiva com nova propaganda

Olá, internautas

A propaganda que invade a programação da TV brasileira também faz parte da memória televisiva do telespectador. A Sadia, agora, ativa a emoção com seu novo comercial que celebra os 73 anos da marca.

Em pouco mais de 30 segundos, o anúncio compila trechos de outras campanhas que entraram para a história da propaganda brasileira. O franguinho de óculos de motoqueiro atinge em cheio o telespectador. Quando ele aparece no vídeo, todos já sabem que é um anúncio da Sadia.

Neste comercial comemorativo, o trecho que atiçou a minha lembrança é a parte do garotinho com os olhos vendados que reconhece o presunto da Sadia. “Opa.. Esse é Sadia”, dispara o menino. Isso reabre as memórias afetivas que se encontravam no “fundo” da mente.  Naquele momento, também era uma criança.

Esse comercial enlaça o telespectador e reforça que a marca é companheira de longa data do consumidor. As mais recentes também surgem. “Peruuuu de Natal.....”. “Nem a pau, Juvenal”....

“Quem não tem uma história com Sadia? Aquele cheirinho inconfundível do peru de Natal. O sanduíche de presunto da vovó. A lasanha que junta toda a família aos domingos. A salsicha que vira S e o frango que a gente S2”, descreve a empresa no comercial também divulgado no YouTube.

É bom saber que alguém te ama de verdade...Por toda a vida...Dentro do peito...É bom saber que existe amor assim...Parabéns aos publicitários que criaram a propaganda. O objetivo foi alcançado. Com emoção. Olhos marejados.

No YouTube para quem ainda não assistiu:

https://www.youtube.com/watch?v=d3Foqogdpq4

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Fofoca extrapola na RedeTV!

Olá, internautas

Nesta semana, uma novidade “temporária”, de acordo com Sonia Abrão, marca a programação da RedeTV!. Agora, a emissora de Dallevo e Carvalho exibe uma segunda parte do “A Tarde É Sua”, a partir das 18 horas.

A atração da apresentadora surge encaixado entre faixas alugadas por igrejas evangélicas. Antes das 15 horas, a Igreja Universal do Reino de Deus domina a faixa. Já às 17 horas, entra R.R. Soares com a Igreja Internacional da Graça de Deus.

O diretor artístico da RedeTV!, Elias Abrão, enfrenta esse grave problema. Diversos blocos impedem o efeito cascata, o que prejudica obter melhores índices de audiência. Nesta semana, sai pastor, entra Sonia, entra pastor e retorna Sonia.

A fofoca domina a grade de programação que sobra, além dos infomerciais. Logo pela manhã, no “Melhor Pra Você”, Vladimir Alves já revela os fatos e boatos das celebridades. Às 15 horas, entra o “A Tarde É Sua” com o mesmo noticiário.

Agora, às 18 horas, Sonia explorará mais fofocas. Hoje, por falta de assunto, a apresentadora teve que repetir a discussão sobre a declaração polêmica do cantor Victor, mesmíssimo assunto que já tinha sido abordado mais cedo.  

E, por fim, na faixa das 21 horas, Nelson Rubens e Flavia Noronha falam sobre o mundo das celebridades no tradicional “TV Fama”.

A RedeTV! precisa investir na programação. Ceder espaço para Igrejas evangélicas e requentar notas dos famosos (que acrescentam pouco ao telespectador) em quase 70% da programação é contra procedente.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 20h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"A Casa" estreia com má perspectiva

Olá, internautas

Nesta semana, a Record TV estreou “A Casa”. O novo reality de Marcos Mion iniciou com 8 pontos de média. Bom patamar diante do corte do sinal da emissora na TV paga. Porém, o novo reality de confinamento já trouxe os velhos e desgastadíssimos vícios que impregnam o filão televisivo.

Logo de cara, o retumbante “Uh, uh!” já deu “as caras”. E o pior: não eram apenas 16 integrantes a bradar o mantra, mas 100. Isso mesmo. A Record escalou 100 participantes para encarar a missão de sobreviver em uma residência destinada a quatro pessoas.  E a “fauna” é variada. Até surge um ex-Cozinha Sob Pressão. Marco Ungaro encarou a cozinha do SBT, mas foi logo eliminado na época.

No primeiro episódio, já ocorreu uma votação que escolheria o líder. Cenas dos “brothers”, ou melhor, dos confinados de sunga também já apareceram. Desentendimentos, idem. O pior, no entanto, não é a repetição dos surrados ingredientes.

Na realidade, o telespectador acompanhará discussões pelo “mínimo”. Nesta estreia, um rapaz criou confusão por um rolo de papel higiênico. Se já era absurdo assistir a um “conflito social” por uma lata de leite condensado, imaginem as brigas por uso inadequado da descarga....

“A Casa” é um “BBB” inflado. Pessoas desconhecidas ganham espaço na Record. Agora, existirá a nova categoria “ex-Casa”. Muitos buscarão os 15 minutos de fama. Mais parece que a Record escalou os rejeitados do Big Brother Brasil e jogou todos na casa de Marcos Mion.

A Record acertava ao produzir realities com “celebridades”. É interessante acompanhar como os famosos, que acompanhamos pela mídia, comportam-se na “novela da vida real”. Seja no “Power Couple Brasil” ou em “A Fazenda”. Agora, qual é a graça de assistirmos 100 pessoas desconhecidas em discussões por uma pasta de dente?

“A Casa” estreou com má perspectiva.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 11h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Paulo Victor brilha no "Dancing Brasil"

Olá, internautas

Nesta segunda-feira (26/06), chegou ao fim a primeira temporada do “Dancing Brasil”. O talent show apresentado por Xuxa foi um acerto da Record neste primeiro semestre. O programa funcionou. Bom elenco. Ótima produção. Dançarinos competentes. Cenário deslumbrante.

Xuxa encaixou-se na proposta da atração. É válido destacar que, em alguns momentos, a loira queria participar mais do show. Interferir mais. E isso, evidentemente, é negativo. Xuxa não consegue mais sozinha chamar a atenção do público. Repetimos tal mantra. É necessário que o formato impere.

Mesmo com a ressalva, Xuxa viveu um bom momento em sua carreira profissional, fato que não ocorria há anos. Ela teve o auxílio de Sergio Marone que se transformou em “Serginho”, mesmo com o seu 1m93 de altura. Desta vez, a emissora também acertou ao escalar o moreno na atração. Marone ficou mais solto no vídeo durante o “Dancing Brasil”. Até mesmo, chamou a atenção na dança coreografada com os profissionais.

Maytê Piragibe e Paulo Victor venceram a disputa com 42,53% da votação auditada pela “estimada” BDO. Jade e Teo ficaram colados com 41,90%. Na realidade, Paulo Victor venceu a competição e Maytê conquistou os 500 mil reais. O coreógrafo brilhou no palco. O carisma do rapaz extrapola na televisão. E formou um belo casal com Maytê.

Porém, a atriz perdeu a minha (e parte dos telespectadores) simpatia pessoal em um desabafo. Ela criticou o coreógrafo Teo que teria sido responsável direto para a sua nota baixa. Ali, fiquei com o pé atrás. Depois, boatos circularam pela imprensa sobre o seu comportamento nos bastidores. Fiquei com o outro pé atrás. Além disso, sua imagem ficou arranhada, nas redes sociais, diante da sua entrevista pós-final no “Programa do Porchat”.  

Aliás, Fabio Porchat foi muito sagaz ao conduzir o seu talk show ao vivo após as decisões do “Power Couple Brasil” e “Dancing Brasil”.

Torci pelo ator Leonardo Miggiorin. Uma das pessoas da “turma do bem” no meio artístico. Esforçado. Lutador. Humilde. Até mesmo, soube do esforço para conciliar o talent show da Record com a peça “O Empréstimo” que estava em cartaz no Teatro Folha. Ele viajava de São Paulo ao Rio para o ensaio com a coreógrafa Dani. E voltava para a capital paulista encenar a comédia. E viajava para o Rio. Voltava para São Paulo...Em um domingo, quando assisti ao espetáculo, ele chegou em cima da hora. Atraso compreensível para o início da peça.

A Record apostará nas temporadas emendadas. A segunda já inicia neste mês.

Parabéns, Paulo Victor!

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 12h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Rodolfo Schneider e Bruna Drews se destacam na Band

Olá, internautas

O “Brasil Urgente” continua sendo um dos programas mais assistidos da Band. José Luiz Datena “reina” com o corte do sinal da Record na TV paga e, por consequência, sem a concorrência direta do “Cidade Alerta” com Luiz Bacci. “Brasil Urgente” fica entre 5 e 6 pontos.

O jornalista conta atualmente com dois profissionais que se destacam no noticiário. O telejornal ganha vigor com o bate-papo entre Datena e Rodolfo Schneider, da Band Rio. O jornalista traz o sotaque carioca à atração que é marcada por cobrir, intensamente, os acontecimentos de São Paulo.

Schneider é competente e carismático. Traz credibilidade com informalidade. É natural no vídeo. E Datena sabe reconhecer o quilate do profissional.

Bruna Drews é outra jornalista que ganha bom destaque no “Brasil Urgente”. A repórter sempre produz reportagens competentes, além de sobressair no link com o apresentador. E isso não é tarefa fácil.

Datena apresenta “alguns” arroubos durante o telejornal. Drews mantém a calma e conduz a situação com sabedoria. Bruna traz a feminilidade em uma seara de violência. Com dignidade. Não aposta no sensacionalismo.

Rodolfo Schneider e Bruna Drews renovam, de alguma forma, o tradicional “Brasil Urgente”.  

Ps: infelizmente, o UOL Blogs enfrenta problemas técnicos que impossibilitam os comentários. Já tenho ciência de tal “novidade”.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Balanço final: "Power Couple Brasil 2" termina com vitória rara

Olá, internautas

Nesta quinta-feira (22/06), a Record TV exibiu a grande final do “Power Couple Brasil 2”. A atração chegou ao fim com 8 pontos de média. Com o corte do sinal da emissora na TV paga, não dá para efetuarmos comparações com a temporada anterior. Mesmo assim, o programa conseguiu atingir a vice-liderança.

Segue o balanço sobre os casais participantes do reality.

Nayara e Cairo: a vitória de Nayara é raríssima entre todas as edições de realities exibidas desde 2001 no Brasil. Em pouquíssimas oportunidades, uma mulher negra conquista a vitória pelo voto popular. É só analisar as quatro edições da Casa dos Artistas, mais 17 do BBB, além das 7 de “A Fazenda”. Até então, apenas Janaina tinha conquistado a consagração em “O Aprendiz”, em 2011. E não por voto popular. Após enfrentar turbulência em sua carreira artística, Nayara dá a volta por cima. Cairo sempre passou ar de companheirismo. Mereceram a vitória diante dos outros casais finalistas.

MC Marcelly e Frank: um dos casais protagonistas da edição. Marcelly demonstrou toda a sua doçura no reality. Porém, expôs fragilidade demasiada com o seu marido. Frank personificou a figura de vilão-mor na competição. Extremamente machista, grosseiro e deselegante. Ficou muitos tons acima. Impunha as suas verdades para a companheira de forma radical. Manchou a imagem de forma indelével.  

Mauricio e Suyane: oh, pai! O casal mais querido desta temporada. Erraram nas apostas em plena reta final. Uma pena. De fato, passaram o ar de casal entrosado. Eram os francos favoritos. A edição cortou, propositalmente, as conversas, com os demais participantes, sobre as dificuldades financeiras do casal. O telespectador ficou sem saber o que de fato ocorre. Mauricio é um ator competente. Fazia as novelas de Tiago Santiago na Record. Sem o autor, perdeu espaço. Esperamos que isso, em breve, se reverta.

Fabio Villa Verde e Regiane: o ator confirmou a sua boa imagem que sempre o marcou no decorrer de sua carreira. Porém, Regiane decepcionou. A esposa de Villa Verde demonstrou irritação absurda com o marido. Chegou, em muitos momentos, a ser grosseira com o companheiro. Além disso, “cagoetou” Marcelly ao “problemático” marido Frank na história do doce na van. Arrumou uma confusão completamente desnecessária. Manchou ainda mais sua imagem perante os telespectadores.

Rafael Ilha e Aline: já comentamos sobre a participação de Rafael neste espaço. Confundiu “Power Couple Brasil” com “A Fazenda”. Não plantou flores, como pretendeu passar em sua defesa. Na realidade, colheu “furacão”. Foi humilhado por Diego e Lorena na grande final. Os dois ex-fazendeiros falaram as suas verdades na cara do rapaz. Diego ficou desapontado e indignado com a postura de Rafael. Por isso mesmo, no “barraco” exibido ao vivo, a plateia berrou o nome de Diego ao invés de Ilha. Além disso, o “ex-polegar” disse que daria uns socos em Sylvinho na grande final. Pra que falar isso? E, evidentemente, não cumpriu tal promessa. Ficou feio em todos os sentidos.  


Ana Paula e Sylvinho: casal que causou vergonha alheia. Ana Paula apresentou um comportamento, em muitas oportunidades, nada amigável com o seu companheiro. Além disso, Sylvinho resolveu bancar o “esperto” ao tentar infringir as regras do jogo. Ficou feio. Isso, agora, marcará a sua imagem. Sylvinho não merecia isso, após décadas de trabalho.

Diego Cristo e Lorena Bueri: o público dos realities da Record já acompanhava o casal desde os tempos de “A Fazenda”. Tinham tal vantagem. Inicialmente, Diego e Lorena foram naturais. Não exploraram polêmica. Entenderam que o “Power Couple Brasil” tinha outro perfil em comparação ao confinamento rural. Apesar disso, Rafael Ilha resolveu cutucá-los com vara curta. A partir daí a instabilidade emocional, que já tinha aparecido em “A Fazenda”, voltou à tona. Tentaram adotar a mesma estratégia dos vencedores Laura e Jorge e se deram mal. Diego, principalmente, perdeu-se com a fragilidade emocional. Ouvindo histórias que não existiam. E isso respingou no desempenho das provas. Uma pena.

Marcelo Ié Ié e Julia: o humorista saiu do reality, após problemas de saúde. Passou frieza ao tirar a amiga (ou ex-colega de trabalho) Narizinho do jogo. Julia forçava uma situação “melosa” de amor. Apesar disso, não saíram com imagem arranhada. Até poderiam ter vencido a competição.

Andressa e Nasser: fui contra a escalação dos ex-BBBs para o “Power Couple Brasil”. Apesar disso, Andressa e Nasser alcançaram um bom desempenho na atração. Passaram naturalidade e não forçaram situações. Surgiram como um casal de verdade. Superaram as expectativas.  

Thaide e Ana P: Ana P demonstrou ser uma mulher de personalidade forte. Acertou ao desconstruir o discurso de Regiane. Porém, errou ao não transmitir compreensão com Thaíde.

Carol Narizinho e Mateus: não deixaram impressão, já que foram os primeiros eliminados.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 17h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Fera Radical" fortalece saudade no VIVA

Olá, internautas

O VIVA resgatou “Fera Radical”, novela de Walther Negrão, Ricardo Linhares e Luis Carlos Fusco com direção-geral de Gonzaga Blota. Aliás, o diretor também foi responsável por “Pai Herói” que já comentamos neste espaço. Realmente, é um profissional competente.   

“Fera Radical” é, originalmente, uma novela das seis exibida em 1988. Nesta época, tinha 7 anos. Lembro absolutamente nada da trama. Neste horário das 18 horas, brincava com meus amigos no pátio do prédio. Rs.. Até 20h30.

Por isso, muito provavelmente, acompanhei pouco a trama protagonizada por Malu Mader que interpretou Claudia. Uma moça em busca da vingança. Comparações com o seriado “Revenge”, exibido recentemente pela TV Globo, são inevitáveis. Claudia até já foi apelidada de “Vingancinha” nas redes sociais.  Era assim que Faustão chamava “Emily” em seu dominical.

A reprise de “Fera Radical” fortalece a saudade entre os telespectadores. Thales Pan Chacon é um dos destaques da novela. O ator morreu em 1997. Sempre admirei o trabalho do profissional. A última lembrança que tenho de Thales é no SBT. Mais precisamente em “Os Ossos do Barão”. E sempre ótimo no vídeo.


Outros atores já falecidos também rememoraram a saudade, como Paulo Goulart, Elias Gleizer e Yara Amaral (vítima do naufrágio do Bateau Mouche, um mês após o encerramento da novela).

Outros já deixam a saudades entre os telespectadores pela ausência na televisão, como Carla Camurati, símbolo dos anos 80 entre as atrizes jovens da TV Globo. Outros já suscitam a velha pergunta “Por Onde Anda?”. Alexandra Marzo desapareceu das novelas. Por que?

Com as reprises no VIVA, também é “delicioso” acompanhar atores e atrizes mais “jovenzinhos”, como Denise Del Vecchio, atualmente uma das mais experientes do elenco da Record.

E o que falar da abertura de “Fera Radical”? O “computador pré-histórico” era uma das maiores novidades da época. A tecnologia empregada é anterior ao disquete na vinheta! Em um capítulo, Claudia deveria entrar em um banco de dados da Associação, mas tinha que receber uma “palavra-chave”. Ou seja, a atual senha....Acredito que a personagem mexia em um IBM PC-DOS!!!!

“Fera Radical” apresenta um bom elenco, boa direção e uma história que cativa a atenção do telespectador, mesmo após 30 anos de sua exibição original.  

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 11h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
Sobre o autor
Fabio Maksymczuk de A. Brito é jornalista formado pela Universidade Mackenzie e Relações Públicas pela USP. Desde 2004, Fabio escreve sobre a TV brasileira no FABIOTV que atualmente integra o Blogs Legais do UOL. O jornalista é membro da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes) e colunista do Portal Imprensa.

Sobre o blog
O blog FABIOTV tem por objetivo discutir a programação da TV brasileira. Novelas, realities, programas de auditório, jornalísticos, esportivos e as últimas novidades da mídia eletrônica ganham destaque.

 
Histórico


 
Outros sites