"Senhor dos Céus" estreia em ritmo de tiro, porrada e bomba na Band

Olá, internautas

Nesta quinta-feira (29/03), a Band estreou “Senhor dos Céus”. A emissora inovou ao trazer para a TV aberta as novelas turcas que garantem um bom patamar nos índices de audiência. Agora, o canal aposta em uma produção da Telemundo que ainda não ganhou destaque na programação televisiva brasileira.

“Senhor dos Céus” vai ao ar em dia e horário interessantes. Quinta-feira, às 22h30. É uma opção ao telespectador. A supersérie retrata a história de Aurelio Cassilas (Rafael Amaya), personagem baseado na história verdadeira do maior traficante de drogas mexicano, Amado Carrillo Fuentes.

Neste primeiro capítulo, imperou o clima “tiro, porrada e bomba”. Corpos estendidos no chão. Sangue. Fuzis. Tiroteio para todos os lados. É uma supersérie marcada pela ação. Toques de sensualidade também apimentam a obra.  

“Senhor dos Céus” retrata o avanço do narcotráfico na América. É um negócio transnacional que mexe, na supersérie, com Colômbia, México e Estados Unidos. A corrupção nos órgãos governamentais também entra no roteiro. Pablo Escobar surgiu neste primeiro episódio.  

Por outro lado, há um fato que chamou a atenção. Nesta estreia, Aurelio Cassilas apareceu como “mocinho” do enredo. O telespectador foi guiado a ficar ao lado do traficante. Ele conseguiu escapar da polícia e da gangue rival em meio aos tiros. Há um perigo de glamurizar o crime organizado.  É necessário acompanhar o desenrolar de “Senhor dos Céus” para uma análise mais justa em relação a esse tópico.

Após o encerramento da série, o “Jornal da Noite” exibiu uma reportagem interessante. O verdadeiro “Senhor dos Céus”, que morreu em uma mesa de cirurgia (ele passava por cirurgias plásticas para mudar a feição do rosto), teve um filho brasileiro com uma paranaense. O mega traficante comprou uma fazenda de 14 milhões de reais para deixar de herança para o pimpolho, mas o juiz Sergio Moro descobriu a falcatrua e impediu a operação.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 16h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Band cria novo tapa-buraco na programação

Olá, internautas

Nesta segunda-feira (26/03), sem muito alarde, a Band estreou “Vídeo News”, sob comando de Larissa Erthal e Rafael Baronesi. A nova atração é mais um tapa-buraco na grade de programação.

O programa vai ao ar após o encerramento das pregações de RR Soares. Os apresentadores exibem uma série de matérias que destacam o mundo das celebridades e momentos da programação da Band.

Nesta terça (26/03), por exemplo, serviu como um esquenta para a entrada do “MasterChef”. A atração escalou diversos trechos do talent show culinário. Basicamente, o “Vídeo News” serve para a Band aguardar o encerramento da novela das nove da TV Globo, “O Outro Lado do Paraíso”.

Após o final do capítulo, Larissa e Baronesi imediatamente saem do ar e chamam a atração que surge na faixa das 22h30. Artifício muito utilizado por diferentes emissoras.

“Vídeo News”, gravado nos estúdios do Rio de Janeiro, segue o rastro do “Tudo a Ver” (não a versão original de Paulo Henrique Amorim), da Record TV. É um liquidificador que mistura tudo e despeja no colo do telespectador.

Enquanto isso, RR Soares continua a comandar uma faixa importante no horário nobre.

Fabio Maksymczuk   



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Tiago Leifert se intromete no jogo do "BBB18"

Olá, internautas

O “BBB18” permanece com boa repercussão junto ao público. Porém, um fato chama a atenção do telespectador. Tiago Leifert, que sucedeu a Pedro Bial no comando do “Big Brother Brasil no ano passado, começa a “colocar as manguinhas de fora”.  

O apresentador rasgou elogios para Diego, um dos vilões da décima oitava edição do “BBB”. Leifert ressaltou que o paraense é um dos mais exímios jogadores de toda a história do reality. Como assim?

Na realidade, Diego foi um dos piores jogadores desta temporada. Chamou Gleici para o confronto, mesmo com a informação da menor rejeição da acreana no último paredão. Trocou os pés pelas mãos. Leifert tentou induzir o telespectador a acreditar em uma inverdade.

O jornalista passa sua opinião como se fosse uma verdade absoluta. Ele se intromete no jogo quase diariamente. Confunde os brothers e sisters na casa mais vigiada do Brasil. Inverte as posições. Pressiona Gleici. Passa a mão em Diego. Idem com Patrícia, uma das mais rejeitadas da história do “BBB”.

Joga o temor de ser “planta” para os confinados. Aliás, é o vocábulo que marca o “BBB18”. Na Fazenda 9, foi “VTzeiro”. Leifert induz barracos para os competidores “sobressaírem” no jogo. O importante é receber placas no jogo da discórdia, ressaltou em seus ensinamentos.

Leifert interfere demais no jogo. O reality escapa do caminho natural com a postura do apresentador guiado pela direção.   

Em uma edição marcada por competidores altamente rejeitados, Leifert também entra nesse grupo.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 18h06
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Estreia picotada compromete "Orgulho e Paixão"

Olá, internautas

Nesta terça-feira (20/03), a TV Globo estreou “Orgulho e Paixão”, novela de Marcos Bernstein com direção artística de Fred Mayrink. O telespectador de “Tempo de Amar” estranhou, logo de cara, o ritmo mais frenético da nova aposta da emissora platinada.

O andamento é acelerado. Praticamente, não ocorreu apresentação das personagens. A história principal, protagonizada por Elisabeta (Nathalia Dill) e Darcy (Thiago Lacerda), dividiu espaço com um sem número de histórias paralelas lideradas pelas outras quatro irmãs, pais de Elisabeta, núcleo de Ema Cavalcante, as vilãs Julieta e Susana, entre outros personagens que lutam para garantir seu espaço na trama.

O inchaço prejudica o melhor desenvolvimento de todas as histórias. Tudo é picotado para ceder algumas cenas para as dezenas de atores e atrizes. Um lutará contra o outro para garantir seu nicho durante o desenrolar da história.

O elenco masculino é recheado de galãs “estrelares”. Thiago Lacerda lidera a trupe formada por Mauricio Destri, Murilo Rosa, Malvino Salvador, Marcos Pitombo, entre outros que sequer entraram nestes capítulos iniciais.

Por outro lado, o elenco feminino, liderado por Nathalia Dill, conta com atrizes que ainda buscam se firmar na teledramaturgia, como Bruna Griphão, Anaju Dorigon, Pâmela Tomé e até Chandelly Braz. Agatha Moreira, que vive Ema, melhor amiga de Elisabeta, foi a atriz que mais se destacou positivamente na nova produção. Não traz vestígios de outros recentes trabalhos.

Vera Holtz, que vive Ofelia, parece que aproveita a oportunidade para soltar o seu sotaque interiorano paulista reprimido em recentes trabalhos. Aparece fora do tom e não “orrrrrna” com o restante do elenco.  

Gabriela Duarte vive um desafio em sua carreira. Interpreta uma “vilã seca” que foge de sua trajetória artística. A atriz é sempre bem-vinda na tela da TV Globo. O telespectador sente saudade da campineira.    

O filtro da imagem foge da escuridão que caracteriza as novelas atuais da Globo. Agradáveis tons pastéis marcam a produção. Ponto positivo.

“Orgulho e Paixão” aposta em um enredo clássico, já visto dezenas de vezes pelo telespectador. Nestes primeiros capítulos, não ocorreu uma melhor ligação entre os personagens. Cada irmã (e são cinco somente aí) é um novelo. Porém, ficou embolado neste início. A história ficou confusa e solta entre os diferentes núcleos. Ajustes serão necessários para o melhor desenvolvimento do folhetim.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 20h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Tempo de Amar" vive dilema de "América"

Olá, internautas

Nesta segunda-feira (19/03), a TV Globo exibiu o último capítulo de “tempo de Amar”. A novela de Alcides Nogueira, em parceria com Bia Côrrea do Lago, não sustentou os índices herdados da antecessora “Novo Mundo”, mas se manteve em um bom patamar no IBOPE dentro do atual momento da TV brasileira. Girou ao redor dos 23 pontos de média.

Bruno Ferrari foi o maior destaque da trama. O ator, egresso de bons trabalhos na Record TV, roubou a cena ao viver o doce e romântico Vicente. Com a sua interpretação, o ator seduziu grande parte dos telespectadores que torceu pelo final feliz do personagem ao lado de Maria Vitória, vivida pela estreante Vitória Strada.

Vicente solapou Inácio, protagonista inicial da história, interpretado por Bruno Cabrerizo, outra aposta da direção artística de Jayme Monjardim. Aliás, a marca do diretor explodiu na tela com a sempre bela fotografia, iluminação e produção requintada nos cenários e figurinos.

“Tempo de Amar” foi uma novela bonita visualmente para se acompanhar. Um deslumbre que marcou até o último capítulo. O ritmo cadenciado da trama contrapôs ao andamento frenético que caracteriza as novelas contemporâneas. Há fatias consideráveis de telespectadores que preferem acompanhar o folhetim em um ritmo mais contemplativo. A faixa das seis deve acolher esse público.

Com o apoio maciço do telespectador, ocorreu uma subversão do enredo original. Maria Vitória chegou ao fim ao lado de Vicente. Inácio ficou solto na história. Terminou com o bandolim, bradaram as redes sociais, especialmente o Twitter.

O mesmo dilema apareceu em “América” na década passada. Sol (Deborah Secco) chegou ao final feliz com Ed (Caco Ciocler) e não com Tião (Murilo Benício), como indicava o roteiro original.  

“Tempo de Amar” já passou o bastão para “Orgulho e Paixão”, novela da nossa próxima análise neste espaço.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 20h26
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Fábrica de Casamentos" corrige tom em estreia da segunda temporada

Olá, internautas

Neste sábado (17/03), o SBT estreou a segunda temporada do “Fábrica de Casamentos”. Chris Flores e Carlos Bertolazzi continuam a comandar o reality show ao lado de Beca Milano, Lucas Anderi, Elisa Tavares e Robson Jassa. Sem explicações ao telespectador, o chef Hugo Grassi foi excluído da trupe.

Neste primeiro programa da nova leva de episódios, “Fábrica de Casamentos” corrigiu o tom fake que impregnou a primeira temporada. No ano passado, a equipe esforçava-se com “caras e bocas” para criar um clima de “missão impossível” após o anúncio dos desejos dos noivos. Isso já foi eliminado nesta estreia da segunda temporada. Ótimo.

O programa sempre cresce com a cerimônia do casamento e a festa. E isso ocorreu na festividade de Halime e Jonas. A produção caprichou. Os noivos pediram que o bolo simbolizasse a pulsão da vida. Jonas quase morreu após um acidente com moto. Beca, mais uma vez, arrasou ao criar o efeito especial no bolo. Diversos corações jorravam  pelo salão.

Porém, um fato desnecessário surgiu no final da comemoração. O reality resolveu presentar o noivo com uma moto. Um verdadeiro presente de grego. Ele quase morreu justamente por esse veículo extremanente perigoso em nossa estradas.

"Fábrica de Casamentos" aparece como uma boa opção ao telespectador na noite do sábado. E é um formato nacional, o que é louvável diante dos formatos importados que entopem a nossa programação.

Fabio Maksymczuk 



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Cabrini e Meirelles se digladiam na noite de segunda

Olá, internautas

O SBT remexeu, há algumas semanas, a grade de programação. A emissora transferiu o “Conexão Repórter” das noites dos domingos para as segundas-feiras. O jornalístico de Roberto Cabrini tapou o buraco deixado pela extinção do “Máquina da Fama”, de Patrícia Abravanel.

Porém, a atração formava uma boa dobradinha com o “Programa Silvio Santos”. Era uma interessante opção ao telespectador que se divertia com o patrão e, em seguida, ficava informado com as ótimas reportagens do jornalista. Agora, a faixa é ocupada por reprises do “Quem Não Viu, Vai Ver”. Atrações do fundo do baú do SBT são despoeiradas.

A mudança criou um efeito colateral no telespectador. A Record TV resgatou o excelente “Repórter Record Investigação” que jamais deveria ter sido rifado da programação. Domingos Meirelles ocupou as noites das segundas-feiras com a mudança de Xuxa para as quartas-feiras.

Cabrini e Meirelles se digladiam pela vice-liderança. Nesta semana, Cabrini iniciou a temporada 2018 com as reportagens inéditas. O jornalista entrevistou a chamada “prefeita ostentação” Lidiane Leite que negou as acusações de desvio de dinheiro público.

No concorrente, Meirelles entrevistou, na última semana, o maníaco de Goiânia, Tiago Henrique Gomes da Rocha, acusado de ter matado 39 pessoas.

Agora, “Conexão Repórter” e “Repórter Record Investigação” vão ao ar simultaneamente. O telespectador precisa escolher apenas um jornalístico. Uma pena.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 22h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Turma da Pakaraka" estreia na RedeTV! em clima dos anos 80

Olá, internautas

A RedeTV! reformulou a grade matinal. Recentemente, o canal estreou “Turma da Pakaraka”, atração infantojuvenil que relembra similares dos anos 80 da TV brasileira.

Na fundação do canal em 1999, Andrea Sorvetão comandava o interessante “Galera da TV”. Com as reformulações que ocorreram logo no início da RedeTV!, o programa, infelizmente, foi extinto. Depois, a emissora até tentou adentar o nicho dos pequenos, como o “Vila Maluca”, de triste memória, que mais parecia um genérico do Chaves.

Agora, surge “Turma do Pakaraka” ambientado em um cenário virtual. Os chistes dos personagens Pepeu, Pepita e Barrú lembram também o “menino do barril”.

Há uma dificuldade de alguns produtores da TV brasileira em compreender que as crianças do século XXI não são as mesmas dos anos 80. “Turma da Pakaraka” segue a mesma cartilha dos infantojuvenis do século passado.

Até mesmo, o histórico “Clube do Hugo”, exibido há exatos 20 anos na CNT/Gazeta, é mais atual que a “Turma da Pakaraka”. A verba de produção também compromete a qualidade na captação do áudio. Em muitas oportunidades, os diálogos da trupe ficam abafados no vídeo.  

O telespectador mirim, que já está na TV Cultura e SBT pela TV aberta, dificilmente, migrará para o “Turma da Pakaraka” na manhã da RedeTV!. Patati e Patatá reciclaram a imagem dos palhaços na televisão, o que não é percebido na nova atração da emissora de Dallevo e Carvalho.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 20h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Cozinha do Bork" estreia com Jiang apagada

Olá, internautas

Nesta segunda-feira (12/03), a Band estreou “Cozinha do Bork” que traz novamente Daniel Bork à frente de uma atração matinal da emissora. O apresentador, que ganhou a alcunha de “cunhado de Johnny Saad”, raramente chama a atenção dos telespectadores. Há muitos anos, ele ocupa a faixa sem grande repercussão.

A maior novidade da nova aposta da Band recai em Jiang Pu, ex-MasterChef que ganhou o carinho do público. Infelizmente, nesta estreia, a “chinesinha” ficou apagada.

Bork apenas pediu que a cozinheira traduzisse algumas expressões do mundo culinário para o chinês. Além disso, entoou o seu bordão “cebora” em algumas oportunidades. “Você tirou o queijo da geladeira?", indagou Bork. "Não, só a cebora”, respondeu a nova assistente.

Neste primeiro programa, “Cozinha do Bork” apresentou receitas, recebeu a apresentadora Catia Fonseca para um café da manhã e exibiu o quadro de reportagens que pretende destacar a culinária regional por todo o País.

Jiang precisa ser a grande vedete do “Cozinha do Bork”. A ex-MasterChef pode ser o grande trunfo para atrair mais telespectadores. Já Luitha Miraglia deveria ser a “cara” do programa nas redes sociais. A repercussão no Twitter foi mínima.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 22h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"BBB18" vive auge com retorno de Gleici

Olá, internautas

Nesta sexta-feira (09/03), “BBB18” viveu seu auge com o retorno de Gleici ao jogo. Nitidamente inspirada na novela “O Outro Lado do Paraíso”, o reality viveu o momento “O Outro Lado do Paredão”.

A acreana, que foi a menos rejeitada pelos telespectadores na última eliminação, ganhou a oportunidade de acompanhar todo o jogo sujo de Patricia, Diego e companhia em seu esconderijo. O telespectador ficou ansioso para acompanhar o retorno triunfal da “fada”.

Gleici se transformou na mocinha da história. No Brasil, os realities de confinamento comportam-se como “novelas da vida real”. Aliás, tal slogan marcou a primeira temporada da “Casa dos Artistas”. A linha dramatúrgica entra na veia da edição.

No momento, a cearense Patricia é a mais odiada pelo telespectador. Antes, a “bruxinha” Ana Paula, o noivo de Taubaté, Lucas, e até a jornalista Nayara ganharam a pecha de vilões.  

A décima oitava temporada do “BBB” conquistou fôlego pela boa seleção do elenco. Há figuras amadas e odiadas. E isso repercute nas redes sociais que alavancam a atração. “BBB” é o programa da TV brasileira que mais se entrelaça com o mundo virtual.

Gleici entrou para o jogo. O sírio Kaysar terá que resgatar o fôlego. Família Lima corre por fora.

Fabio Maksymczuk  



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Desgaste ameaça "MasterChef"

Olá, internautas

Nesta terça-feira (06/03), a Band estreou a quinta temporada do “MasterChef” versão amadores. A emissora continua a emendar uma temporada à outra com a edição profissionais no segundo semestre.

Em um momento, a conta chegaria. E chegou. O talent show retornou sem a repercussão que obteve em anos anteriores. Registrou 4,5 pontos de média. Habitual faixa de audiência, mesmo sem uma forte concorrência da Record que ainda virá com o Power Couple Brasil.

Nesta nova leva de episódios, duelos ocorrem na cozinha chefiada por Paola Carosella, Erick Jacquin e Henrique Fogaça. O padre Evandro chamou a atenção. Porém, a presença de religiosos não é novidade em similares no Brasil. No “Bake Off Brasil”, em 2017, o monge Douglas já tinha roubado a cena no SBT.

Em outro momento da estreia do MasterChef 5, uma mineira preparou o pão de queijo frito. Boa sacada. Muitos telespectadores desconheciam tal artifício culinário.

“MasterChef” terá que sair do arroz e feijão bem temperado para diminuir o ar de cansaço do formato. A escalação do elenco é fundamental para turbinar a imagem da atração.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 22h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Leo Dias solta o verbo no Troféu Imprensa

Olá, internautas

Neste domingo (04/03), Silvio Santos comandou a sexagésima edição do “Troféu Imprensa”. Neste ano, Leo Dias surgiu como a maior novidade da premiação. Por outro lado, figuras históricas do júri não deram o ar de sua graça, como Leão Lobo, Paulo Barboza e Eli Corrêa.

A festividade continuou a enfrentar o mistério que marca as recentes edições. O processo de votação dos finalistas necessita ser melhor explicado aos telespectadores. Ser mais transparente com o público. Na categoria Novela, por exemplo, Novo Mundo sequer entrou. Por outro lado, a produção da casa, Carinha de Anjo, “furou a fila” e surgiu entre os postulantes ao prêmio. E o que falar do “Programa do Ratinho” entre os melhores da TV brasileira?

E o que falar da categoria melhor apresentadora? Patricia Abravanel conquistou mais uma estatueta (!!!!!!!!!!!!!!!). Porém, Fatima Bernardes, Ana Maria Braga e Renata Fan não apareceram entre as finalistas.  Tá no Ar não ficou entre os três melhores humorísticos da TV brasileira. Complicadíssimo.

O clima de puxa-saquismo permaneceu em alguns jurados. Uma delas enfatizou que Silvia Abravanel é uma apresentadora carismática. Como assim????

Apesar disso, Leo Dias ajudou a quebrar o clima “cordeirinho” do júri. Sem papas na língua, expôs suas opiniões de forma independente, mesmo com o crachá de funcionário do SBT. Na votação do melhor telejornal, o jornalista justificou que não votaria no “SBT Brasil”. “Posso falar tudo o que eu quiser? Então vamos lá. Acho que falta investimento do SBT em contratar mais equipes de jornalismo, acho que faltam mais equipes na rua e, por isso, o meu voto não vai para o SBT “, disparou.

Neste momento, Silvio Santos ficou mudo e calado. Aplausos para o “corajoso” Leo Dias que também não perdoou a Record TV.  “A Record faz um bom jornalismo popular, mas ela tem vergonha de falar para o pobre, ela quer ser chique. E aí, ela erra. O melhor jornal da Record é o ‘Balanço Geral’ e ‘Cidade Alerta’, mas ela quer insistir no ‘Jornal da Record’, que é para rico”, completou.

O clima chapa-branca precisa ser quebrado no Troféu Imprensa. É uma festa da TV brasileira e não do SBT.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 21h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Catia Fonseca entra em baixa na guerra vespertina com "Melhor da Tarde"

Olá, internautas

Nesta quinta-feira (01/03), Catia Fonseca estreou oficialmente na Band. A apresentadora comanda o novo “Melhor da Tarde”. Na década passada, Astrid Fontenelle, Leão Lobo e Aparecida Liberato lideravam o vespertino que conquistou boa repercussão.

Para a entrada da nova contratada, a emissora da família Saad cortou metade do programa “Os Donos da Bola” que girava ao redor da casa dos 3 pontos de média. Neto agora terá que condensar o debate futebolístico com “merchans” e intervalos comerciais em menos de 50 minutos de arte. Ele tinha duas horas no total.

O desafio de Catia é manter, pelo menos, o patamar dos índices de audiência do craque. Na estreia, ela conseguiu. Já no segundo dia, não. Na primeira parte do primeiro programa, exibido para São Paulo, Catia conseguiu envolver o telespectador ao desvendar os bastidores do canal. Já no segundo bloco, foi um retalho de quadros que não engrenou.

Na sexta-feira (02/03), “Melhor da Tarde” já demonstrou suas deficiências. A apresentadora, sozinha, dificilmente alavancará o “Melhor da Tarde”. O ar modorrento impregnou. O conteúdo da atração deixou a desejar. Fofoca, saúde, culinária, reportagem externa e até dança de funk dos anos 2000 passaram pela atração de forma estanque. Evidentemente, tudo em meio aos “merchans”.

“Melhor da Tarde” precisará conquistar sua própria identidade. Catia entrou na guerra vespertina com concorrentes já solidificados. “A Tarde É Sua” tem um público fiel. Sonia Abrão é a alma do programa da RedeTV!. Não foi abalada pela entrada da nova aposta da Band.

Regina Volpato comanda o “Mulheres” que apresenta um conteúdo solidificado e agradável ao telespectador que acompanha cerca de quatro horas diárias. É um programa que flui com a boa direção de Ocimar de Castro. Pelas análises iniciais, o “Fofocalizando” foi o mais prejudicado e já oscilou para baixo nos índices de audiência.

“Melhor da Tarde” não pode ser um colchoado de quadros que já passaram pelas outras emissoras, como a TV Gazeta. Catia precisa de colaboradores que instigam a curiosidade do público. Isso não foi visto neste início da nova empreitada.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 23h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


FABIOTV na gravação do Programa do Porchat

Olá, internautas

Recebi o convite da assessoria de comunicação da Record TV para acompanhar, nesta terça-feira (28/02), a gravação do Programa do Porchat e também a coletiva de imprensa com o apresentador, além dos jornalistas Bruno Peruka e Fabiola Gadelha, a Rabo de Arraia.

Quando Porchat adentrou a sala, logo direcionei o meu olhar para o cabelo do comediante. Não estava laranja, como aparece nas fotos que bombaram nas redes sociais, mas estava em uma coloração fora do convencional. Ele explicou que gravou um filme com Dani Calabresa e precisou tingir de preto. Para retornar ao loiro, passou por alguns estágios, inclusive o laranja.

Porchat explicou que “em time que está ganhado, não se mexe”. O seu programa continuará na mesma toada. Sem grandes novidades. O quadro da Van com Porchat, onde ele percorria a cidade com algum telespectador, é o único que não continuará nesta temporada de 2018. “Dava muito trabalho produzir”, explicou.  

O apresentador revelou que sonha entrevistar Leonardo e Fabio Junior. Ele também afirmou que enfrenta um receio de transformar o seu talk show em um programa de game. Por isso, ele sempre fica atento com o excesso de quadros que pode comprometer o formato original. Porchat enfatizou ainda que neste ano voltará a entrevistar Sasha Meneghel

O comediante ressaltou que deve entrevistar os candidatos a Presidente, inclusive Jair Bolsonaro. “Engraçado o que ele fala”, cutucou. Em clima das Eleições, o programa da Record lançará o quadro Brasil Dividido. Neste esquete, celebridades concorrerão ao cargo majoritário que serão defendidas por cabos eleitorais. A plateia votará no melhor postulante.  

Em seguida, os jornalistas foram até o estúdio K onde ocorre a gravação do “Programa do Porchat”. Acompanhei a entrevista com a funkeria Jojo Todynho. Realmente, é uma figura exótica. Seios avantajados. Não deve ultrapassar 1m50 de altura. Na mídia, ela aparenta ser bem mais alta.  O bate-papo será exibido na próxima terça-feira (06/03). Porchat fez mistério sobre o convidado (ou convidada) da estreia da temporada.

A gravação começou do fim para o início. O apresentador reuniu toda a plateia no palco do talk show para todos “desmaiarem” no chão ao ritmo de “Que Tiro Foi Esse”. Depois do hit, aconteceu a entrevista em si.


Nova programação matinal – Após a coletiva com Porchat, ocorreu o bate-papo do novo apresentador do Balanço Geral Manhã, Bruno Peruka, e também com a jornalista Fabiola Gadelha, a Rabo de Arraia. Muito simpáticos com os jornalistas presentes.

Estava sentado e Peruka veio até a minha direção cumprimentar-me. Após o bate-papo, ele fez questão de estender a conversa com todos fora da sala. Muito gentil. Bruno e Fabiola enfatizaram que a nova programação matinal, que contará com ambos, apostará na informação com irreverência.

O humor de Marcelo Rezende será linha mestra da nova fase do telejornal e também do “SP no Ar” que ficarão no ar entre 6 horas da manhã às 8h30. O diretor Virgílio Abranches frisou que a prioridade é com informação, mas com leveza. “Vai ser mais uma revista. Meio TV. Meio rádio”, afirmou.

De acordo com o profissional, que já trabalhou com Gugu e Geraldo Luis, muitos telespectadores só ouvem o telejornal durante as manhãs enquanto cuidam da lancheira dos filhos, preparam os pequenos para irem à escola ou tomam café da manhã. “Informação sem violência. Não será sangrento. Vai ter música e imitação. Curiosidades para a família ”, concluiu Peruka.

Agradeço o convite da assessoria de comunicação da Record TV. Sempre é uma honra conhecer os bastidores da nossa televisão brasileira.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio Maksymczuk às 12h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
Sobre o autor
Fabio Maksymczuk de A. Brito é jornalista formado pela Universidade Mackenzie e Relações Públicas pela USP. Desde 2004, Fabio escreve sobre a TV brasileira no FABIOTV que atualmente integra o Blogs Legais do UOL. O jornalista é membro da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes) e colunista do Portal Imprensa.

Sobre o blog
O blog FABIOTV tem por objetivo discutir a programação da TV brasileira. Novelas, realities, programas de auditório, jornalísticos, esportivos e as últimas novidades da mídia eletrônica ganham destaque.

 
Histórico


 
Outros sites